Para Visitar: Paquetá


A cerca de 70 minutos do agitado centro do Rio de Janeiro está Paquetá: uma ilha com jeitinho de vila do interior. Para chegar é preciso pegar a barca na Praça XV, que atravessa lentamente a Baía de Guanabara. No caminho é possível ver a Ilha Fiscal - onde foi realizado o último baile do Império - e outros atrativos culturais e naturais.

Ponte Rio-Niterói
Ilha Fiscal
 Não é permitida a circulação de carros particulares e os meios de transporte dos moradores e visitantes são as charretes, bicicletas, trenzinho turístico, barcos e canoas. Ao desembarcar na ilha já é possível ver o grande número de bicicletas circulando (o carro que aparece na foto abaixo é da Guarda Municipal). 


As ruas não são asfaltadas, tendo cobertura de saibro que preservam o aspecto bucólico do bairro (sim, Paquetá é um bairro do Rio de Janeiro). São muitos os lugares para conhecer e uma das opções para quem tem pouco tempo para caminhar pelas ruas é o passeio de charrete. 



Os charreteiros são moradores da ilha e levam os visitantes aos principais pontos turísticos de Paquetá, além de contar um pouquinho da história do lugar. 


Farol da Mesbla

Praia dos Tamoios

Pedra dos Namorados. Diz a lenda que deve-se atirar três pedrinhas, de costas, em direção ao topo da pedra, pensando no grande amor. Se pelo menos uma pedrinha ficar sobre a rocha, é a certeza de que seu amor é correspondido.
Maria Gorda, um Baobá (aquela árvore citada no Pequeno Príncipe) de origem africana, com centenas de anos e medindo mais de 7 metros de circunferência. Tem uma placa com a seguinte inscrição: Sorte por longo prazo a quem me beija e respeita. Mas sete anos de atraso a cada maldade a mim feita. 


                          
Cemitério dos Pássaros, o único que se conhece no mundo

Placa da entrada do Cemitério dos Pássaros
Painel Poético
Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte. Igreja Matriz da Paróquia de Paquetá. A construção original data de 1763.
Vista da Igreja de dentro pra fora

Paquetá também é famosa por ter sido cenário de novelas da Globo, entre elas Selva de Pedra e A Moreninha, esta última baseada no romance de mesmo nome de Joaquim Manuel de Macedo. A Pedra da Moreninha, imortalizada no livro de Macedo é, portanto, visita obrigatória. 

A casa rosa, ao fundo, foi cenário da novela A Moreninha
Entrada da casa cenário de Selva de Pedra

Pedra da Moreninha
Paquetá - ou Ilha dos Amores, como era chamada por D. João VI -,  tem ainda muitos outros lugares para serem visitados e foi cenário não só da ficção, mas também de alguns acontecimentos da nossa História. Pra quem gosta de lugares tranquilos, caminhadas, passeios de bicicleta e contato com a natureza, é o lugar ideal. Vale a visita!


3 comentários:

  1. Que bairro lindo! Estava procurando um lugar para visitar aqui no Rio e sei qual vai ser minha próxima parada! haha Adorei esse farol, acho um amor <33 Com certeza vou passar um dia lá! *-*
    Beijão, Unsaid Things

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Alguns lugares precisam ser mais bem cuidados, mas ainda assim vale a visita!

      Excluir
  2. Acredita que eu nunca ouvir falar? Me encantei nas fotos, lindo lugar *.*

    Beijos, Letícia.
    Desconstruindo Amélia

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo