Resenha: Extraordinário - R. J. Palacio

Sinopse: August Pullman, o Auggie, nasceu com uma síndrome genética cuja sequela é uma severa deformidade facial, que lhe impôs diversas cirurgias e complicações médicas. Por isso, ele nunca havia frequentado uma escola de verdade... até agora. Todo mundo sabe que é difícil ser um aluno novo, mais ainda quando se tem um rosto tão diferente. Prestes a começar o quinto ano em um colégio particular de Nova York, Auggie tem uma missão nada fácil pela frente: convencer os colegas de que, apesar da aparência incomum, ele é um menino igual a todos os outros.

Há muito tempo queria ler esse livro. A capa, a sinopse e, principalmente, os comentários a respeito dele sempre me chamaram a atenção. Finalmente chegou a vez dele e só me arrependo de não ter conhecido o August antes.

O menininho de 10 anos vive com os pais, a irmã e a cachorrinha Dayse. Após anos estudando em casa, sua mãe decide que chegou a hora de Auggie frequentar a escola, como todas as outras crianças. O primeiro dia de aula é meio assustador para todo mundo, e só piora se você nasceu com uma síndrome genética que faz com que seu rosto seja completamente diferente dos demais. 

Como esperado, a vida do protagonista na escola não é fácil. Olhares, comentários nem sempre discretos, brincadeiras maldosas e preconceito (até mesmo por parte de pais de alunos) fazem parte de sua rotina nos corredores da Beecher Prep. Vemos como as pessoas podem ser cruéis, como o que é diferente assusta e como muitas vezes julgamos apenas pelas aparências. August é um menino inteligente e divertido, mas poucos são os que se permitem vê-lo assim.

Dividido em partes, Extraordinário nos mostra o ponto de vista de quase todos os personagens. Os pais, a irmã, o namorado da irmã e alguns amigos narram suas experiências com o menino. Dessa forma é possível entender como August se vê e acha que as pessoas o vêem e qual é de fato a opinião delas.

O August do início do livro é um menino superprotegido e que não demonstra muita vontade de deixar de sê-lo. Em sua casa, com sua família, ele é apenas Auggie: o filho amado, o irmão mais novo, o fã de Star Wars. Ao colocar os pés na rua torna-se alguém para quem as pessoas olham torto, sobre quem as pessoas fazem comentários maldosos e de quem se afastam. É mais fácil fugir. 

Ao virar de cada página, porém, vemos Auggie enfrentar seus medos e crescer - não só no tamanho. Ele, que sempre foi bem humorado e fez piadas a respeito de si mesmo, passa cada vez mais a ter uma vida que chamam de "normal". A reação das pessoas incomoda, é claro, mas fica cada vez mais explícito que o olhar dos outros era o que mais o entristecia, e não sua aparência. Ter um rosto como o das outras crianças tornaria sua vida muito mais fácil, é verdade, mas ele nunca se revoltou contra isso e sempre viu a si mesmo como "comum". Com o carinho e cuidado da família e dos amigos que faz, ele supera pouco a pouco cada um dos problemas que surgem.

O projeto gráfico do livro é lindo! Desde a capa com supostos defeitos até a abertura de cada capítulo com uma frase. A leitura flui facilmente, dá vontade de ler tudo de uma vez só, e gostei muito da escrita da autora. R. J. escreveu uma história com um tema relativamente triste, mas de uma maneira leve e até divertida, e que não nos faz ter pena de August, mas sim admiração. Apesar da pouca idade, o menino nos mostra que o que nos define são nossas atitudes. Ao final do livro percebi que Auggie é sim um menino especial, não por sua síndrome, mas por sua coragem, sua gentileza e por nos ensinar tantas coisas sendo apenas ele mesmo.

7 comentários:

  1. Oi Carla.
    Li extraordinário esse ano, depois de tantas indicações, e me surpreendi com a história de Auggie.
    Esse menino foi me cativando a cada página, e quando o livro chegou ao fim eu queria continuar com ele, que sim, é muito corajoso.

    Beijos.
    Leituras da Paty


    ResponderExcluir
  2. Já li Extraordinário, acho o livro infantil, porém muito bom, cheio de mensagens positivas, comprei até o novo: 365 extraordinários.

    Daily of Books

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla!
    Extraordinário está na minha fila de leitura e não vejo a hora de lê-lo.
    Sempre li resenhas positivas sobre ele que, assim como a sua, só aumentam a minha curiosidade de conhecer a história de Auggie.
    Ótima resenha!
    Beijos.

    Li
    Literalizando Sonhos

    ResponderExcluir
  4. Ahaaa!!! Esse é meu preferidoooo :) amei e achei a história linda, chorei no final. Li ele na edição da capa branca. Lindo...Lindo!!!
    Bjss e vc anda sumida :)

    http://livrosemarshmallows.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Carla!
    Adorei sua resenha e tenho que concordar que a parte gráfica deste livro é mesmo bem bonita. Consegui através de um blog 12 marcadores com preceitos do Auggie e dos colegas dele, bem lindo também!
    Apesar de amar a escrita com vários protagonistas, a leitura não foi uma das favoritas da minha vida, mas com certeza é pq não tenho o perfil para qual o livro se direciona. Ele é fantástico para a "gurizada", especialmente porque aborda um tema tão delicado de forma divertida, passando a mensagem sem pesar.
    Bjss amei conhecer seu blog, vou passar sempre por aqui!
    Bjoo

    www.vivendovivi.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla...
    Senti o mesmo por Auggie. Não tem como não gosta desse livro né..bom demais.
    A capa está linda também, a edição está de parabéns.

    livrosvamosdevoralos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Eu sou completamente apaixonada por esse livro. Eu o li assim que foi publicado e me encantei de imediato, também já li Auggie & Eu e 365 Dias Extraordinários. Em uma palavra: INCRÍVEL!!!!

    De Tudo um Pouquinho

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo