Falando de... zumbis


Olá, pessoal!
Eu, particularmente, não sou fã de zumbis, mas essa galerinha que retorna do mundo dos mortos sempre esteve em alta. O que não falta são jogos, filmes, séries e livros sobre o tema. Vamos ver uma listinha de livros com esses personagens tão fascinantes pra uns e tão assustadores para outros?

 

Zumbis x Unicórnios - Nesta antologia, editada por Holly Black e Justine Larbalestier, diversos contos apresentam fortes argumentos a favor de Zumbis de um lado e de Unicórnios de outro. Os argumentos, que incluem tanto pontos negativos e positivos de cada lado, são expostos por renomados autores, entre eles Cassandra Clare, Meg Cabot e Scott Westerfeld, que deixam clara a preferência por um time ou outro.

O guia de sobrevivência a zumbis -  Guia de Sobrevivência a Zumbis - O guia de sobrevivência a zumbis oferece proteção total contra mortos-vivos. Oferece, também, uma visão implacável das paranóias das superpotências através de doses generosas de humor bizarro. Se você considera os zumbis meros personagens de filmes de horror, está cometendo um grande erro. Eles estão em risco e este livro poder ser sua única salvação num mundo dominado por mortos-vivos. Mais do que uma experiência divertida, O guia de sobrevivência aos zumbis pode ser o único raio de esperança quando o ataque começar. Neste guia, Max Brooks explica detalhadamente e passo a passo como se defender dos seres monstruosos. Desde a fisiologia do morto-vivo e a preparação de sua residência para o ataque até a escolha de um bom plano de fuga, ele detalha quais armas são mais úteis e as melhores técnicas para exterminas essas vis criaturas. No fim do guia, Max ainda relata algumas sanguinolentas invasões ocorridas ao longo dos séculos para evitar ondas de pânico em massa. Max Brooks dá todas as dicas pra que a humanidade consiga derrotar os zumbis e manter-se no posto de maior predador do planeta. Cabe a você estudar este guia e preparar-se para a invasão. Ou será que você prefere encarar tudo isso como uma piada e se transformar no jantar dos mortos-vivos?

 

CelularOnde você estava no dia 1º de outubro? O protagonista desta história, Clay Riddell, estava em Boston, quando o inferno surgiu diante de seus olhos. Bastou um toque de celular para que tudo se transformasse em carnificina. Stephen King – que já nos assustou com gatos, cachorros, palhaços, vampiros, lobisomens, alienígenas e fantasmas, entre outros personagens malévolos – elegeu os zumbis como responsáveis pelo caos desta vez. Depois de anos de tentativas frustradas, o artista gráfico Clay Riddell finalmente consegue vender um de seus livros de histórias em quadrinhos. Para comemorar, decide tomar um sorvete. Mas, antes de poder saboreá-lo, as pessoas ao seu redor, que por acaso falavam ao celular naquele momento, enlouquecem. Fora de si, começam a atacar e matar quem passa pela frente. Carros e caminhões colidem e avançam pelas calçadas em alta velocidade, destruindo tudo. Aviões batem nos prédios. Ouvem-se tiros e explosões vindos de todas as partes. Neste cenário de horror, Clay usa seu pesado portfolio para defender um homem prestes a ser abatido, Tom McCourt, e eles se tornam amigos. Juntos, eles resgatam Alice Maxwell, uma menina de 15 anos que sobreviveu a um ataque da própria mãe. Os três sortudos — entre outros poucos que estavam sem celular naquele dia — tentam se proteger ao mesmo tempo em que buscam desesperadamente o filho de Clay. Assim, em ritmo alucinante, se desenrola esta história. O desafio é sobreviver num mundo virado às avessas. Será possível?

Branca de neve e os sete zumbis"Você acredita em contos de fadas?" Pergunta Eduardo Spohr no prefácio. E continua, "Alguma coisa me diz que até o final deste livro você passará a acreditar". Para que o feitiço Yabu dê certo, é necessário que esqueça tudo o que você sabe sobre contos de fadas. Branca de Neve não é apenas uma jovem ingênua, mas também uma implacável caçadora de zumbis. Cinderela guarda um terrível segredo, que selará seu destino para sempre. Rapunzel está longe de ser uma reles menina isolada numa torre. E a morte da Pequena Vendedora de Fósforos revela uma tradição macabra de morte e psicopatia que vai muito além de uma inocente história infantil. 

 

Sangue quente - Sangue Quente - R é um jovem vivendo uma crise existencial - ele é um zumbi. Perambula por uma América destruída pela guerra, colapso social e a fome voraz de seus companheiros mortos-vivos, mas ele busca mais do que sangue e cérebros. Ele consegue pronunciar apenas algumas sílabas, mas ele é profundo, cheio de pensamentos e saudade. Não tem recordações, nem identidade, nem pulso, mas ele tem sonhos. Após vivenciar as memórias de um adolescente enquanto devorava seu cérebro, R faz uma escolha inesperada, que começa com uma relação tensa, desajeitada e estranhamente doce com a namorada de sua vítima. Julie é uma explosão de cores na paisagem triste e cinzenta que envolve a "vida" de R e sua decisão de protegê-la irá transformar não só ele, mas também seus companheiros mortos-vivos, e talvez o mundo inteiro. Assustador, engraçado e surpreendentemente comovente, Sangue Quente fala sobre estar vivo,estando morto, e a tênue linha que os separa. 

Guerra mundial Z - Com Guerra Mundial Z, o norte-americano Max Brooks faz uma paródia dos guias de sobrevivência convencionais e expõe a paranoia coletiva que tomou conta do mundo, em especial dos Estados Unidos, na era Bush. No livro, que dá continuidade ao bem-sucedido O guia de sobrevivência aos zumbis, o autor adota um tom científico nas pretensas entrevistas que conduziu com os sobreviventes do ataque que quase extinguiu a humanidade. O narrador de Brooks é um integrante da comissão da ONU encarregado de elaborar o relatório sobre o assustador conflito que quase aniquilou o planeta. Da identificação do paciente zero, contaminado nas ruínas de Dachang, na China, até Mary Jô Miller, a arquiteta de elite que pode pagar para se proteger, passando pelo depoimento de um soldado da infantaria que lutou no conflito, nada escapa à verve do autor. Irônico, Brooks destaca ainda o quanto os homens são ingênuos em achar que podem se defender de pragas e criaturas alienígenas. Governos corruptos e com interesses eleitoreiros podem destruir qualquer Departamento de Defesa, ou conduzi-lo para o front errado. O autor mostra ainda como as sociedades desmoronaram e foram forçadas a se reorganizar após o colapso das instituições que as mantinham, levando as pessoas a atos extremos de heroísmo e altruísmo, bem como de egoísmo e mesquinhez.



14 comentários:

  1. Oi Carla,
    Adorei o tema da coluna, desses eu ainda não li nenhum, mas todos estão na lista.
    Adoro a temática haha Guerra Mundial Z só assisti o filme e adorei.

    bjs e tenha uma ótima semana
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlinha, tudo bem?

    Não curto livros com zumbis, mas achei a premissa do livro Zumbis e Unicórnios bem interessante. E a capa é toda coloridinha *-*

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  3. Também não gosto de zumbis ... Aliás , como eles conseguem fazer tanto sucesso ? !

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Não gosto muito da temática de zumbis, mas com certeza leria "Celular", porque sempre me envolvo muito com os livros do Stephen King.

    http://lenabattisti.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Gosto de assistir filmes/séries com temática zumbi, mas nunca me arrisquei com livros. Da sua lista o que me chamou a atenção, além de "Sangue Quente" e "Guerra Mundial Z", cujos filmes já assisti, foi "Branca de neve e os sete zumbis". Nessa onda de diferentes adaptações para os contos de fadas, algo assim é bem-vindo. ^^

    Blog | Paixonites Literárias Xx

    ResponderExcluir
  6. Oi Carla!
    Eu ainda não li nenhum livro com zumbis e também não sou muito fã dessas criaturas... Desses acho que eu leria Zumbis x Unicórnios que parece ser bem divertido!
    Bjs
    sobrelivrosesonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Eu também adoro zumbis e todas as histórias que tiverem sangue ou algo relacionado a fantasia. Adorei a postagem. Sempre quis ler esse primeiro livro porque sou fã assumida da Holly! Branca dos mortos parece ser bem legal também.
    Beijos,
    Monólogo de Julieta

    ResponderExcluir
  8. Zumbis é algo que cada vez mais está sendo usado para livros, filmes, séries etc. E eu adoro, pois sempre é bom conhecer uma história que se diferencia de outra. Já assisti Guerra Mundial Z, mas ainda não tive a oportunidade de ler o livro, espero conseguir lê-lo em breve!

    ResponderExcluir
  9. Eu realmente não gosto de nada relacionado com zumbis, principalmente filmes ( sou muito medrosa, podem rir ) , tanto que vejo um livro do Stephen King e já passo longe dele. Kkkk Então acho que de todos esses livros eu TALVEZ poderia ler Zumbis x Unicórnios... Bem minha cara. Kkkk BEIJOS :*

    ResponderExcluir
  10. Oi Carla!
    Nunca li história sobre zumbis, mas já assisti uma porção de filmes sobre o tema <3
    Gosto bastante e se bem desenvolvido, pode dar uma história super bacana!
    Adoro a diagramação de Zumbis X Unicórnios e super quero ler esse livro <3

    Beijinhos
    Daisy - nuvemdeletras.com

    ResponderExcluir
  11. Apenas querendo zumbis x unicórnios. <3

    Confesso que não gosto muito de zumbis mas tem algum desses livros que eu tenho muita vontade de ler. O dos unicórnios porque parece ser um pouco mais fofinho e distante da imagem real que a gente tem de um zumbi e o do Fabio Yabu que já parece ser um pouco mais macabro, haha. :P

    Beijos!
    http://www.prateleiracolorida.com.br/

    ResponderExcluir
  12. Oie Carla
    amo zumbis. Tem como não amá-los? hahahahha
    Quero ler esse livro do Fabio. Amo a escrita dele.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho muito medo de zumbis, as vezes acho que eles são reais e que um dia elas vão aparecer na minha casa e me devorar e por este motivo não leio e nem vejo filmes de zumbis, se eu ler ou ver eu tenho uns pesadelos muito doidos

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo