27 de setembro de 2016

Resenha: Esposas e filhas - Elizabeth Gaskell

Sinopse: Inglaterra provincial, 1830. Molly Gibson, filha única de um médico viúvo, é negligenciada por Miss Clare, ex-governanta. Sete anos depois, Molly é uma atraente jovem que desperta o interesse de um dos aprendizes de seu pai, Mr. Coxe. O afeto é descoberto, e Mr. Gibson envia a filha para ficar com os Hamleys, de Hamley Hall, uma família da pequena nobreza. Lá ela se torna amiga do Hamley mais novo, Mr. Roger. O filho mais velho da família, Osborne Hamley, um jovem bonito, inteligente e mais elegante do que seu irmão, é esperado para fazer um casamento brilhante após uma excelente carreira na Universidade de Cambridge. Porém, um grande segredo o envolve. Intrigas, mexericos, preconceitos, traições, tragédias e amor marcam este formidável romance considerado pela autora como Uma História Cotidiana.

Esposas e filhas é mais um clássico da literatura inglesa lançado pela Pedrazul Editora. Escrito no século XIX, foi originalmente publicado semanalmente na Revista The Cornhill. É a última obra de Elizabeth Gaskell, que faleceu antes de concluí-lo.

No volume de mais de quinhentas páginas, a habilidosa autora nos transporta para o interior da Inglaterra vitoriana. Na cidade de Hollingford viviam Molly Gibson e seu pai, um médico viúvo responsável pelo cuidado das famílias da região. Sua profissão fazia com que tivesse acesso livre às casas de pessoas simples e também de nobres como Lord e Lady Cumnor e de proprietários de terra, como o fazendeiro Hamley.

Quando ainda era uma menina, Molly foi convidada para uma grande festa oferecida anualmente em Towers, propriedade de Lord e Lady Cumnor. Antes muito animada para comparecer ao evento tão esperado pelas moças da cidade, acabou sentindo-se mal e foi deixada aos cuidados de Clare, governanta da família. Nossas personagens nem imaginavam que anos depois seus caminhos se cruzariam novamente.

Eis como tudo aconteceu: como médico respeitado que era, Mr. Gibson recebia em sua casa jovens aprendizes. Molly era, então, uma moça de dezessete anos e não tardou para que um dos alunos de seu pai se percebesse apaixonado por ela. A carta na qual declarava sua paixão, porém, foi interceptada por Mr. Gibson, que sentiu pela primeira vez a dificuldade que teria para lidar sozinho com as novidades trazidas pela adolescência de uma filha.

Sua primeira decisão foi mandar Molly para a casa de Mr. e Mrs. Hamley. Há tempos esta última desejava uma visita da filha de seu médico, que viu aí a oportunidade de afastar a menina dos perigos de um romance precoce. Os Hamley tinham dois filhos homens, Osborne e Roger, que estavam fora, e a chegada de Molly trouxe um ar diferente ao lugar. Com seu jeito delicado, atento e carinhoso, ela logo conquistou os anfitriões, que a partir daí começaram a nutrir por ela uma afeição que só fez crescer.

A segunda e mais importante decisão de Mr. Gibson foi casar-se novamente. Ele acreditava que uma segunda esposa poderia desempenhar a função de mãe de sua filha. A escolhida foi Clare, também viúva e mãe de uma jovem da idade de Molly. O casamento trouxe mais do que uma madrasta, móveis novos e mudanças na rotina, trouxe também a encantadora Cynthia. As duas jovens tão diferentes tornaram-se verdadeiras irmãs e amigas. Nem os segredos da recém-chegada, as situações nas quais Molly é colocada para ajudá-la a protegê-lo ou um amor compartilhado são capazes de atrapalhar a relação das duas.

Esposas e filhas é, de fato, uma história cotidiana. Gaskell narra acontecimentos comuns de forma despretensiosa, mas sua escrita é tão brilhante que o leitor logo se vê envolvido na trama criada por ela. Os personagens são muito bem construídos, mas a autora não se perde em descrições detalhadas, ela mostra. Sabemos que Molly é doce, altruísta e bondosa, Cynthia é astuta e um pouco manipuladora e Clare (agora Mrs. Gibson) é deslumbrada, mas não porque Gaskell enumerou tais atributos, e sim porque mostrou cada um deles nas falas dos personagens, em suas atitudes e nos comportamentos e comentários dos demais em relação a eles. 

Nesse delicioso romance, acompanhamos o crescimento de Molly, o envelhecimento das pessoas ao seu redor, casamentos e até mesmo mortes. Ouvimos fofocas e comentários injustos assim como algumas declarações de amor. Vemos amizades crescerem, amores surgirem e acabarem. Torcemos por alguns casais e desejamos a não formação de outros. Temos, por fim, a sensação de também vivermos em Hollingford e conhecermos bem cada um de seus habitantes.

O desenrolar das situações se dá aos poucos, sem pressa ou atropelos. O ritmo mais lento – o que não significa parado – da narrativa permite que o leitor tenha um retrato detalhado da sociedade da época. Os hábitos e costumes comuns da Inglaterra do século XIX estão presentes em cada cena. As ilustrações ao longo do livro dão ainda mais elementos à nossa imaginação nessa volta no tempo. A linguagem é simples e acessível, incapaz de assustar mesmo os não acostumados com a leitura de clássicos.

Como mencionado no início da resenha, Elizabeth Gaskell faleceu antes de concluir o livro. Como havia contado para o editor da revista suas intenções para a maioria dos personagens, ele escreveu uma coluna na qual informa aos leitores os desfechos escolhidos por ela. Essas considerações finais estão presentes no livro, de forma que ele não fica exatamente sem um fim. Mas depois de 532 páginas na companhia de Gaskell, não pude deixar de lamentar a impossibilidade de conhecer através de sua escrita singela o final de personagens dos quais aprendi a gostar tanto. 

22 de setembro de 2016

Sorteio: Coleção Sereia de Vidro - Marcelo Antinori

Olá, pessoal!
Já falei aqui no blog sobre a Coleção Sereia de Vidro, que nas palavras do próprio autor é "uma coleção de pequenas historias de agradável leitura para serem lidas no ônibus e no metrô". Os livros trazem histórias de mistério e crimes na cidade de São Paulo.

Os três primeiros volumes foram publicados pela Editora Bússola e serão agora republicados pela Editora Sesi, que trará ainda a continuação da coleção. Para comemorar, o Marcelo Antinori vai presentear um leitor do blog com os três livros publicados pela antiga editora: Sereia de Vidro, Os Crimes do Dançarino da Sé e Mistério na Festa da Padroeira

Para concorrer é só preencher corretamente o formulário abaixo. A primeira entrada é obrigatória e as demais são chances extras. Boa sorte!



Regras:

- A promoção começa dia 22/09/2016 e termina à meia-noite do dia 22/10/2016;
- O ganhador deve residir ou ter endereço de entrega no Brasil e preencher corretamente o formulário;
- A primeira entrada é obrigatória. As demais, chances extras.
- O contato com o ganhador será feito por e-mail, que deverá ser respondido em até 72 horas. 
- Caso não haja resposta nesse período ou se o ganhador não tiver seguido as regras, perderá o direito ao prêmio e o sorteio será feito novamente; 
- O resultado será divulgado neste mesmo post e nas redes sociais do blog.
- O envio do livro será feito pelo autor e o prazo de envio é de até 60 dias úteis; 
- Não nos responsabilizamos por atrasos, danos e extravios dos Correios.
Este sorteio é de caráter recreativo/cultural, conforme item II do artigo 3º da Lei 5.768 de 20/12/71 e dispensa autorização do Ministério da Fazenda e da Justiça, não está vinculada à compra e/ou aquisição de produtos e serviços e a participação é gratuita. 

19 de setembro de 2016

Falando de... listas


Lista de compras, lista de prós e contras, lista de nomes, de sonhos, de metas... Listar itens em uma folha pode ajudar a tomar uma decisão, deixar metas sempre à vista e evitar que coisas sejam esquecidas. 

Eu tinha o hábito de anotar em um caderno todos os livros que lia e os que queria ler e fazia o mesmo com os filmes. Já faz um tempo que me rendi ao Skoob e ao Filmow, mas continuo adorando fazer listas de outras coisas, esta coluna do blog é um exemplo disso.

Quem nunca fez uma listinha? Os personagens dos livros de hoje já, por diferentes razões. Olha só:


A lista - Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

A lista de Brett - Brett Bohlinger parece ter tudo na vida — um ótimo emprego como executiva de publicidade, um namorado lindo e um loft moderno e espaçoso. Até que sua adorada mãe morre e deixa no testamento uma ordem: para receber sua parte na gorda herança, Brett precisa completar a lista de sonhos que escreveu quando era uma ingênua adolescente. Deprimida e de luto, Brett não consegue entender a decisão de sua mãe — seus desejos adolescentes não têm nada a ver com suas ambições de agora, aos trinta e quatro anos. Alguns itens da lista exigiriam que ela reinventasse sua vida inteira. Outros parecem mesmo impossíveis. Com relutância, Brett embarca numa jornada emocionante em busca de seus sonhos de adolescência. E vai descobrir que, às vezes, os melhores presentes da vida se encontram nos lugares mais inesperados.

A lista negra - E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama? O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos. Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.



A playlist de Hayden - Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil.

Tão insano quanto você - Darren, personagem principal, é um garoto de 15 anos que tenta lidar com os dilemas diários de um adolescente - pais separados, a mãe que está praticamente sempre viajando, o melhor amigo vivendo longe, o irmão morando fora de casa devido à faculdade, problemas com sua auto-imagem e dúvidas de como se relacionar com o sexo oposto. O garoto nem chegou a imaginar que mais um aspecto, para ele muito relevante, entraria nessa lista. Quando o pai de Darren aparece em sua cozinha, em uma manhã qualquer, comendo donut de chocolate, mal sabia o menino que nos próximos segundos a revelação que deixaria seu mundo ainda mais de cabeça para baixo chegaria. A linguagem direta e sem rodeios e os detalhes das listas fazem das 654 páginas do livro algo único e diferente de tudo já visto em um enredo que relata o drama adolescente.

Naomi & Ely e a Lista do Não-Beijo - A quintessência menina-gosta-de-menino-que-gosta-de-meninos. Uma análise bem-humorada sobre relacionamentos. Naomi e Ely são amigos inseparáveis desde pequenos. Naomi ama Ely e está apaixonada por ele. Já o garoto, ama a amiga, mas prefere estar apaixonado, bem, por garotos. Para preservar a amizade, criam a lista do não-beijo — a relação de caras que nenhum dos dois pode beijar em hipótese alguma. A lista do não-beijo protege a amizade e assegura que nada vá abalar as estruturas da fundação Naomi & Ely. Até que... Ely beija o namorado de Naomi. E quando há amor, amizade e traição envolvidos, a reconciliação pode ser dolorosa e, claro, muito dramática. 


Nove regras a ignorar antes de se apaixonar - A sonhadora Calpúrnia Hartwell sempre fez tudo exatamente como se espera de uma dama. Ainda assim, dez anos depois de ser apresentada à sociedade, ela continua solteira e assistindo sentada enquanto as jovens se divertem nos bailes. Callie trocaria qualquer coisa por uma vida de prazeres. E por que não se arriscar se, aos 28 anos, ela já passou da idade de procurar o príncipe encantado, nunca foi uma beldade e sua reputação já não lhe fará a menor diferença? Sem nada a perder, a moça resolve listar as nove regras sociais que mais deseja quebrar, como beijar alguém apaixonadamente, fumar charuto, beber uísque, jogar em um clube para cavalheiros e dançar todas as músicas de um baile. E depois começa a quebrá-las de fato. Mas desafiar as convenções pode ser muito mais interessante em boa companhia, principalmente se for uma que saiba tudo sobre quebrar regras. E quem melhor que Gabriel St. John, o marquês de Ralston, para acompanhá-la? Afinal, além de charmoso e devastadoramente lindo, ele é um dos mais notórios libertinos de Londres. Contudo, passar tanto tempo na companhia dele pode ser perigoso. Há anos Callie sonha com Gabriel e, se não tiver cuidado, pode acabar quebrando a regra mais importante de todas – a que diz que aqueles que buscam o prazer não devem se apaixonar perdidamente.

Dez coisas que aprendi sobre o amorPor quase 30 anos, quando a brisa de Londres torna-se mais quente, Daniel caminha pelas margens do Tâmisa e senta-se em um banco. Entre as mãos, tem uma folha de papel e um envelope em que escreve apenas um nome, sempre o mesmo. Ele lista também algumas coisas: os desejos e o que gostaria de falar para sua filha, que ele nunca conheceu. Alice tem 30 anos e sente-se mais feliz longe de casa, sob um céu estrelado, rodeada pela imensidão do horizonte, em vez de segura entre quatro paredes. Londres está cheia de memórias de sua mãe que se fora muito cedo, deixando-a com uma família que ela não parece fazer parte. Agora, Alice está de volta porque seu pai está morrendo. Ela só pode dar-lhe um último adeus. Alice e Daniel parecem não ter nada em comum, exceto o amor pelas estrelas, cores e mirtilos. Mas, acima de tudo, o hábito de fazer listas de dez coisas que os tornam tristes ou felizes. O amor está em todas as partes desta história. Suas consequências também. Sejam boas ou más. Até que ponto uma mentira pode ser melhor do que a verdade?

Como viver eternamente - Meu nome é Sam. Tenho onze anos. Coleciono histórias e fatos fantásticos. Quando você estiver lendo isso, provavelmente já estarei morto. Sam ama fatos. Ele é curioso sobre óvnis, filmes de terror, fantasmas, ciências e como é beijar uma garota. Como ele tem leucemia, ele quer saber fatos sobre a morte. Sam precisa de respostas das perguntas que ninguém quer responder. ”Como Viver Eternamente”, é o primeiro romance de uma extraordinária e talentosa jovem autora. Engraçado e honesto, este é um livro poderoso e comovente, que você não pode deixar de ler. A autora tem apenas 23 anos e embora seja seu primeiro livro, ele está sendo lançado em 19 países, dirigido a crianças, adolescentes e adultos.


*Sinopses retiradas do Skoob.