Resenha: Mestre das Chamas - Joe Hill

Sinopse: Ninguém sabe exatamente como nem onde começou. Uma pandemia global de combustão espontânea está se espalhando como rastilho de pólvora, e nenhuma pessoa está a salvo. Todos os infectados apresentam marcas pretas e douradas na pele e a qualquer momento podem irromper em chamas. Nos Estados Unidos, uma cidade após outra cai em desgraça. O país está praticamente em ruínas, as autoridades parecem tão atônitas e confusas quanto a população e nada é capaz de controlar o surto. O caos leva ao surgimento dos impiedosos esquadrões de cremação, patrulhas autodesignadas que saem às ruas e florestas para exterminar qualquer um que acreditem ser portador do vírus. Em meio a esse filme de terror, a enfermeira Harper Grayson é abandonada pelo marido quando começa a apresentar os sintomas da doença e precisa fazer de tudo para proteger a si mesma e ao filho que espera. Agora, a única pessoa que poderá salvá-la é o Bombeiro – um misterioso estranho capaz de controlar as chamas e que caminha pelas ruas de New Hampshire como um anjo da vingança.

Vale iniciar essa resenha ressaltando que Joe Hill é ninguém menos que o filho do mestre do terror, Stephen King. E parece que herdou o talento do pai para histórias fantásticas e assustadoras, como é o caso de Mestre das Chamas.

O livro narra a trajetória da enfermeira Harper Grayson após os Estados Unidos (e o mundo) serem assolados por um epidemia que faz com que as pessoas infectadas pela chamada Escama do Dragão, que cobre a pele dos doentes de desenhos pretos e dourados, entrem em combustão espontânea. Ninguém parece saber a origem da infecção e as autoridades perderam o controle da situação. Todos estão abandonados à própria sorte.

Nesse cenário desolador, a enfermeira Harper se descobre grávida, infectada e sozinha, tendo que enfrentar os perigos da nova ordem mundial e proteger a vida do seu bebê. É aí que ela acabará por encontrar a Colônia, um local onde um grupo de infectados se reuniu para se proteger dos efeitos letais da Escama e da ameaça que os não infectados representam.

Ao ler o livro, é virtualmente impossível não visualizar essa história em forma de filme ou seriado. A leitura é cheia de surpresas e a forma como Joe Hill desenrola sua história faz com que cada página seja envolvente e o leitor se sinta dentro daquele universo, torcendo pelos personagens, temendo por seus destinos e ansiando pelo que virá a seguir.

Embora a protagonista seja Harper, o personagem do Bombeiro (o mestre das chamas do título), tem papel de destaque na obra. Enigmático e corajoso, ele descobriu uma maneira de dominar as chamas e usá-las a seu favor, sendo crucial na jornada de Harper pela sobrevivência.

E assim como a enfermeira, nos pegamos querendo saber mais sobre esse homem e seus poderes, querendo conhecê-lo e saber de seu passado. O personagem entra na história sutilmente e rodeado por uma aura de mistério, que aos poucos nos vai sendo revelado.

Embora eu tenha começado a resenha ressaltando a descendência do autor, vale esclarecer que o horror aqui se encontra no próprio comportamento humano em face do medo. As passagens em que pessoas são consumidas pelas chamas certamente são aterrorizantes. Contudo, muito mais assustador  é o retrato do individualismo que permeia nossos dias, traduzido na figura dos esquadrões de cremação, patrulhas de civis que assumiram para si o dever de exterminar todos aqueles que foram contaminados pela doença.

E paradoxalmente, nos momentos de maior pânico e desesperança, surgem atitudes heróicas, generosas e repletas de amor, que nos fazem reaver a fé e a esperança na humanidade.

Em meio ao caos que Joe Hill nos apresenta, é impossível não se colocar no lugar dos personagens e se perguntar: o que eu faria para sobreviver? Até onde eu iria? Eu mesma ainda sigo pensando nas respostas...

5 comentários:

  1. Adoro esse autor! Esse ainda não li, mas pretendo...Obrigado pela resenha!

    Acessem: https://www.paraisofeminino.com.br/calcados/tenis

    ResponderExcluir
  2. E obrigada pelo retorno sobre a resenha! Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Carla!
    Nunca li nada do Joe Hill, mas pelos comentários que vejo de seus livros ele herdou o talento do pai.
    Sua resenha me deixou bem interessada na história. Eu já havia visto alguns comentários quando ela saiu, mas deixei passar na época.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  4. Oi, Nath. Tudo bem?

    Na época do lançamento eu fiquei com bastante vontade de ler este livro, mas acabei esquecendo dele. Acredita? Quando o vi aqui agora até pensei "genteee, esse livro!" Hahahahaha
    Vou até conferir se por acaso não o coloquei no Skoob, porque vira e mexe vou dar uma olhada nos meus desejados e não lembro de tê-lo visto lá.
    Eu acho o enredo super interessante e tenho muita curiosidade acerca deste bombeiro. A tal da infecção é bem criativa, imagino mesmo a agonia das tais cenas de combustão.
    Dona Netflix bem que poderia fazer uma.série! Hahahaha

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

© Entre Aspas - 2016 | Todos os direitos reservados.
Desenvolvimento por: Jaque Design | Tecnologia do Blogger.
imagem-logo