Resenha: O livro dos espelhos - E. O. Chirovici

Sinopse: Quando o agente literário Peter Katz recebe por e-mail um manuscrito parcial intitulado O livro dos espelhos, ele fica intrigado. O autor, Richard Flynn, descreve seus dias em Princeton, e documenta sua relação com Joseph Wieder, um renomado psicólogo, pesquisador e professor. Convencido de que o manuscrito completo vai revelar quem assassinou Wieder em sua casa, em 1987 — um crime noticiado em todos os jornais mas que jamais foi solucionado —, Peter Katz vê aí sua chance de fechar um negócio de um milhão de dólares com uma grande editora. O único inconveniente: quando Peter vai atrás de Richard, ele o encontra à beira da morte num leito de hospital, inconsciente, e ninguém mais sabe onde está o restante do original. Determinado a ir até o fim neste projeto, Peter contrata um repórter investigativo para desenterrar o caso e reconstituir o crime. Mas o que ele desenterra é um jogo de espelhos, uma teia de verdades e mentiras, e uma trama mais complexa e elaborada que a do primeiro lugar na lista de mais vendidos dos livros de ficção.

Quando o agente literário Peter Katz recebe por e-mail um manuscrito parcial, ele fica intrigado. O autor, Richard Flynn, descreve seus dias em Princeton, e documenta sua relação com Joseph Wieder, um renomado psicólogo, pesquisador e professor, que acaba sendo encontrado morto em casa. O crime, ocorrido há anos, permanece sem solução e as respostas podem estar nas páginas deixadas por Richard.

Contudo, ao procurar o autor para adquirir o restante do manuscrito, Peter descobre que ele faleceu. Para solucionar o mistério e poder lançar o livro que considera como um sucesso em potencial, o agente literário contrata o repórter investigativo John Keller.

O Livro dos Espelhos é o tipo de narrativa que me deixa interessada de imediato, por trazer um crime misterioso e aparentemente indecifrável. Além disso, sua premissa é muito envolvente, a de uma trama contada dentro de outra.

No início, somos apresentados às linhas do manuscrito de Richard Flynn, tendo um panorama geral do ponto de vista dele sobre os acontecimentos e conhecendo os personagens que fizeram parte da sua vida à época e que ele considera relevantes para desvendar o assassinato de Wieder, como sua namorada, Laura Baines.

Perto do final do livro, o manuscrito termina e nos deparamos com as descobertas da investigação de John Keller. Ele vai atrás das pessoas citadas por Richard Flynn, em busca da versão de cada um sobre os fatos que foram narrados. A investigação prendeu minha atenção, mas confesso que o melhor do livro para mim foi o trecho do manuscrito. A atmosfera de tensão e dúvidas que é gerada acaba chegando a um anticlímax com a mudança de foco para a investigação do repórter.

Definitivamente, não se trata de um livro ruim. Contudo, o final acaba sendo decepcionante, tamanha a minúcia com que são tratados os fatos no trecho do manuscrito. Fiquei com uma sensação de que o desfecho é repentino e apressado.

Ainda assim a leitura já vale a pena pela criatividade do autor em inserir um livro dentro de outro e pela escrita sedutora, que nos faz querer virar as páginas sem parar até concluir a leitura.



  1. Oi, tudo bem? Me parece uma leitura interessante. A premissa é instigante e muito boa. Que pena que o final não tenha sido tão bom quanto o restante da leitura. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

Carla

IMG-8037-1
CARLA. CARIOCA, CAPRICORNIANA E PSICÓLOGA. APAIXONADA, POR LIVROS, BRIGADEIRO DE PANELA E FILMES ANTIGOS.

Nathalia

90106055-2940192296019199-114718516346617856-o
NATHALIA. CARIOCA DA GEMA, GEMINIANA, PEDAGOGA E JORNALISTA. VICIADA EM SÉRIES E LIVROS SOBRE CRIMES.

Renata

754ce110-420a-41c6-acd7-97ab245a44d7-1
RENATA. MINEIRA, TAURINA E ROMÂNTICA. LOUCA POR VINHO E TATTOOS.