Resenha: A partitura de Clara - Silvia Gerschman

 

Sinopse: A partitura de Clara pode ser visto como um romance histórico de formação, ou seja, trata-se de uma narrativa que se passa numa época histórica muito rica em transformações estéticas e políticas, tendo como pano de fundo a música, e, além disto, acompanha de perto a formação artística e a trajetória pessoal da sua protagonista.  O desenrolar da obra se dá em dois planos: no primeiro, dois pesquisadores de historia contemporâneos, o francês Patrick e a brasileira Anna, dedicam-se a procurar a partitura perdida de uma obra de Clara Schumann e, em segundo plano, narra-se a trajetória da pianista e compositora. [...] Ao longo de toda a narrativa, a autora consegue um bom equilíbrio entre a pesquisa histórica aprofundada que realizou sobre a época e os protagonistas que escolheu desenvolver e a construção de uma linguagem sensível, destinada a interessar e seduzir o leitor. [Por Elias Fajardo]  

Clara Schumann foi uma pianista e compositora alemã. Era casada com Robert Schumann, também compositor. No século XIX, teve uma carreira muito bem sucedida, apresentando-se em diversos países da Europa.

É a partir da história verídica da pianista que Silva constrói seu romance histórico. Nele, Ana e Patrick, dois pesquisadores, resolvem iniciar uma busca por uma partitura inédita de Clara, desaparecida há muitos anos. O livro intercala capítulos que narram a busca de Ana e Patrick com outros que mostram a vida de Clara desde a sua infância.

Nos capítulos dedicados à busca pela partitura, viajamos com os personagens para a Alemanha, onde visitam lugares estratégicos e entrevistam descendentes da pianista. Conforme as pesquisas avançam, conhecemos não só a cidade onde se instalam ou as informações que recebem, mas também a forma alemã de lidar com a cultura. A autora tem um jeito didático de escrever, e aqui e ali insere explicações e reflexões sobre termos e momentos históricos.

Já os capítulos que narram a vida de Clara dão-nos a oportunidade de saber mais - ou de ler pela primeira vez - sobre a vida de uma mulher talentosíssima e bem à frente de seu tempo, como a autora faz questão de sinalizar. Para mim, mergulhar em sua história foi uma experiência bem mais interessante que acompanhar a procura por sua partitura perdida.

Passeamos por diferentes épocas e aspectos de sua vida: as aulas de piano da infância, a história de amor com Robert, a amizade com Brahms, a inimizade com Wagner e a criação dos números filhos. Algumas informações, porém, são repetidas em diferentes capítulos e os fatos avançam e retrocedem no tempo diversas vezes, gerando uma quebra na narrativa.

Ressalvas feitas, é preciso destacar a pesquisa feita pela autora, que fica clara pela quantidade de informações contidas nas páginas, bem como a contextualização histórica muito bem feita. Prato cheio para os amantes de música clássica e de romances históricos.



*Exemplar cedido pelo Álbum de Memórias

  1. Oi, Carla tudo bem? Me parece daqueles livros que não queremos que termine quando estamos lendo. Ótima resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo serviço prestado ao trazer a lume um pouco do conteúdo do livro.

    ResponderExcluir
  3. Achei bacana essa história contada em dois tempos, uma pena isso das informações ficarem repetidas algumas vezes... Um abraço!

    ResponderExcluir

Obrigada pela visita! Deixe seu comentário, sua opinião é super importante para nós.

Carla

IMG-8037-1
CARLA. CARIOCA, CAPRICORNIANA E PSICÓLOGA. APAIXONADA, POR LIVROS, BRIGADEIRO DE PANELA E FILMES ANTIGOS.

Nathalia

90106055-2940192296019199-114718516346617856-o
NATHALIA. CARIOCA DA GEMA, GEMINIANA, PEDAGOGA E JORNALISTA. VICIADA EM SÉRIES E LIVROS SOBRE CRIMES.

Renata

754ce110-420a-41c6-acd7-97ab245a44d7-1
RENATA. MINEIRA, TAURINA E ROMÂNTICA. LOUCA POR VINHO E TATTOOS.